Visualizações

Cidades

De Mystical Tales

Na MyT os jogadores são convidados a criar, personalizar e gerenciar suas proprias Cidades.

Pode ser uma tarefa difícil mas com prática e colaboração, objetivos imensos podem ser alcançados pelas comunidades civis.

O sistema de cidades pode ser utilizado para criar impérios nepotistas, sociedades igualitárias, guildas, pode gerar intrigas pelo poder, administração temerária, exércitos temíveis e feitos heróicos nunca antes vistos num MMORPG.

É um sistema extenso, com múltiplos usos e com potencial para alavancar grandes histórias!


Town 1.jpg


Conteúdo

Estrutura de um feudo

Qualquer região individual do mapa pode ser classificada como um tipo diferente de região:

  • Região Soberana: Tem poder absoluto sobre seu território. Pode ter uma estrutura política com vários cargos com privilégios diferentes para os jogadores. Tem um NPC secretário - o Senescal - e suas próprias leis e regras. Pode ter outras cidades ou regiões como sub-regiões.
  • Sub-região: Podem ser vilas ou cidades menores. Sempre está ligada a uma Região Soberana mas pode ter leis e regras diferentes e uma estrutura política diferente, porém, todos os cargos da Região Soberana também valem aqui. O contrário não acontece. Os jogadores que tem cargos e privilégios em uma Sub-região não tem poderes sobre a Região Soberana. Também pode ter um Senescal.
  • Região Sob Administração: Geralmente são áreas que não são povoadas. Bosques, minas, cavernas, pradarias, planaltos e fazendas são bons exemplos de Regiões Sob Administração. Devem pertencer a uma Sub-região ou Região Soberana e geralmente são usadas como base de operações militares ou campo de obtenção de recursos naturais. Não tem um Senescal mas pode ser vigiada por NPCs guardas.

Estrutura política

Com certeza, quem manda na cidade são os jogadores. Vários cargos podem ser criados com privilégios diferentes para inúmeras tarefas como tesoureiro, chefe da guilda mercante, capitão da guarda, arque-mago, prefeito, cidadão comum e diversos cargos secundários como assistentes.

Existe uma ordem hierárquica para determinar quem tem mais poder que quem. A ordem hierárquica é determinada por um número de 1 a 999 onde 1 é o mais poderoso e 999 é o menos poderoso. Só pode existir um jogador com o cargo de hierarquia 1 assim como só pode haver um cargo na hierarquia 1. Mas podem existir muitos cargos nas outras hierarquias e mais de um jogador pode ter o mesmo cargo.

Os jogadores podem criar novos cargos quando quiser desde que tenham este poder. Um jogador só pode criar um cargo com nível hierárquico menor que o dele.

Quando um cargo é criado, o jogador que o criou pode dar a este privilégios. Os privilégios variam desde poder comprar e vender itens dentro da cidade até comndar os NPCs guardas da cidade a atacarem alguém. Um jogador só pode adicionar a um novo cargo os privilégios que ele mesmo tem.

Quando uma nova cidade é criada, dois cargos são automaticamente criados: o cargo mestre com todos os privilégios e nível hierárquico 1 e o cargo cidadão com nível hierárquico 999 e sem privilégios.

O cargo de mestre pode ter seu nome e descrição alterados. Os privilégios não podem ser alterados.

O cargo cidadão pode ter seu nome, descrição e privilégios alterados.

Nenhum destes dois cargos pode ser apagado.

Qualquer jogador que se declarar cidadão da cidade ganhará automaticamente o cargo do nível hierárquico 999, cidadão. Posteriormente algum outro jogador pode promovê-lo, desde que tenha privilégio para isso.

Exemplo

Prefuncio é o prefeito de Jagatá. Ele tem o cargo de prefeito, que tem nível hierárquico 1.


Guardinio é o chefe da guarda. Ele tem o cargo de chefe da guarda, que tem nível hierárquico 100.


Mercâncio é quem regula os preços. Ele tem o cargo de mestre da guilda mercante, que também tem nível hierárquico 100.


Existem 12 jogadores guardas na cidade que tem cargo de guarda com hierarquia 500. Eles são, pelo sistema, subordinados a quaisquer jogadores que tenham nível hierárquico mais poderoso que 500 como Guardino, Mercâncio ou Prefuncio.


Porém, Guardino e Mercâncio só poderão afetar um dos 12 guardas se eles tiverem privilégio sobre o que eles querem afetar.


Guardino pode mandar os guardas NPC atacarem um dos 12 guardas, mas Mercâncio não pode.


Mercâncio pode confiscar itens que tenham sido postos a venda por algum dos 12 guardas, mas Guardino não pode.


Quanto a Prefuncio, ninguém pode fazer nada, pois ele tem o nível hierárquico mais poderoso de Jagatá.


Permissões da cidade

Cidades são diferentes umas das outras pelo povo, geografia, economia e leis. Algumas leis podem ser modificadas a qualquer momento pelos jogadores que tem privilégio para isso, como o mestre da cidade.

Estas permissões são globais e podem afetar a jogabilidade dos outros jogadores (cidadãos ou não), mas podem ser anuladas por privilégios dos jogadores.

As permissões das cidades são:

  • Lutar na cidade: Se habilitado, qualquer jogador poderá lutar contra monstros na cidades sem ser pertubado pelos NPCs guardas.
  • Andar armado: Se habilitado, qualquer jogador poderá andar armado dentro da cidade sem ser pertubado pelos NPCs guardas.
  • Andar encapuzado: Se habilitado, qualquer jogador poderá andar encapuzado pela cidade sem ser pertubado pelos NPCs guardas.
  • Ferir cidadaos: Se habilitado, qualquer jogador poderá ferir qualquer jogador ou qualquer NPC na cidade sem que isso seja considerado crime.
  • Fazer uso de magias: Se habilitado, qualquer jogador pode usar magia na cidade sem que isso seja considerado um crime.
  • Roubar: Se habilitado, usar as perícias Stealing e Snooping não será considerado crime.
  • Arrombar fechaduras: Se habilitado, usar a perícia Lockpicking não será considerado crime.
  • Coletar recursos naturais: Se habilitado, qualquer jogador poderá mineirar, cortar madeira, colher frutos, pescas ou matar/depenar animais na cidade sem que isso seja considerado crime.
  • Vender bens ou objetos: Se habilitado, qualquer jogador, cidadão ou não, poderá vender itens e construir casas na cidade.
  • Comprar bens ou objetos: Se habilitado, qualquer jogador, cidadão ou não, poderá vender itens e construir casas na cidade.
  • Pedir cidadania: Se habilitado, no quadro de resumo da cidade aparece uma opção para que o jogador possa pedir para ser cidadão. A cidadania pode ser automática ou não.
  • Cidadania automática: Se habilitado, assim que um jogador pedir cidadania da cidade ele será automaticamente atendido. De outra forma, precisaria-se esperar a concessão de algum jogador que tenha privilégio para isso via uma petição.
  • Abrir peticoes: Se habilitado, qualquer jogador pode abrir uma petição. Petições podem ser pedidos de cargo, cidadania, mudança de leis ou favores pessoais.


Privilégios dos cargos

Qualquer cargo pode ter qualquer privilégio. Isso fica a gosto dos jogadores.

Obviamente os primeiros cargos são criados pelo mestre da cidade - usualmente renomeado para Rei ou Prefeito.

A partir daí, o mestre poderá conceder a outros cargos o privilégio de criar mais cargos, ou não.

Alguns tipos de privilégios tem prioridade sobre as permissões da cidade. Sendo assim, privilégios podem ser vistos como uma forma de modificar as permissões para alguns jogadores.

Mesmo que uma permissão impeça um jogador comum de fazer algo, seus privilégios podem garantir que ele possa fazer.

Privilégios anulam permissões, mas permissões nunca anulam privilégios.

Os privilégios que os cargos podem (ou não) ter são:

  • Lutar na cidade: Pode andar em Warmode e causar dano em NPCs monstros.
  • Usar capuz: Andar na cidade a hora que quiser encapuzado.
  • Usar magica: Usar magia dentro da cidade.
  • Roubar: Usar as perícias Stealing e Snooping dentro da cidade.
  • Arrombar: Usar a perícia Lockpicking dentro da cidade.
  • Extrair recursos: Pode mineirar, cortar árvores, pescar, colher e matar animais na área da cidade.
  • Participar do mercado: Pode comprar e vender dos NPCs.
  • Criar/votar petições: Usar o forum de petições para fazer pedidos e sugestões ao governo.
  • Alterar cargos: Criar e alterar nomes, descrições e privilégios de cargos inferiores aos dele;
  • Adicionar/remover membros: Convidar novos cidadãos e promovê-los a cargos menores que os dele.
  • Gerenciar livros: Prender e soltar (deixar static) livros e cartas nas estantes das bibliotecas da cidade.
  • Alterar taxas: Modificar os impostos de venda, construção de construções, alugueis e alterar o preço recomendados dos itens vendidos pelos jogadores.
  • Confiscar mercadoria: Retirar dos NPCs vendedores itens que estejam com preços desproporcionais.
  • Acesso ao tesouro: Acessar dinheiro público (coletado pelos impostos) no NPC banqueiro.
  • Promulgar leis: Alterar as permissões gerais da cidade e os textos de lei impostos por representação.
  • Poderes diplomáticos: Declarar independência, subordinação a outra região, alterar o artefato da cidade, alterar o cofre da cidade.
  • Fazer ordens de compra: Pode criar novas ordens de compra (Order Deeds) de itens feitos pelos jogadores e pagos automaticamente com dinheiro público.
  • Contratar funcionarios: Contratar e demitir novos NPCs para a cidade como porteiros, guardas, senescais ou espiões.
  • Comandar guardas: Dar ordens aos guardas NPC da cidade.
  • Comandar porteiros: Dar ordens e comandar o acesso aos portões da cidade que sejam guardados por NPCs porteiros.
  • Comandar senescal: Dar ordens ao NPC secretário da cidade.
  • Fazer pequeno empréstimo: Pegar emprestado da cidade uma quantia de até 2mo. (corre júros).
  • Fazer grande emprestimo: Pegar emprestado da cidade uma quantia de até 1% do tesouro da cidade ou 50mo (o que for menor).

Os privilégios que anulam permissões da cidade são:

Privilégios que anulam permissões
Privilégio Permissão anulada
Lutar na cidade
  • Lutar na cidade
  • Andar armado
  • Ferir cidadãos
Usar capuz
  • Andar encapuzado
Usar magia
  • Fazer uso de magia
Roubar
  • Roubar
Arrombar
  • Arrombar fechaduras
Extrair recursos
  • Coletar recursos naturais
Participar do mercado
  • Vender bens ou objetos
  • Comprar bens ou objetos
Criar/votar petições
  • Abrir petições


CASO PARTICULAR: Ter permissão ou privilégio para usar magias na cidade não dá ao jogador o poder de ferir cidadãos com magia. Ele poderá utilizar magias pacíficas que não causem danos (físicos ou morais, como Polymorph) a menos que tenha o privilégio Lutar na cidade.


Economia

A economia das cidades tem vida própria. Ela pode ser baseada em escambo ou comércio fiscalizado utilizando os NPCs.

Tudo que se vende na cidade tem um percentual de imposto. Este imposto pode variar de cidade para cidade e pode ser modificado por qualquer jogador que tenha o privilégio de Alterar Taxas. O valor padrão para o imposto comercial é de 5%.

Comprar um terreno e construir uma casa também infere num imposto. O preço do tile² comprado do governo é geralmente 13mc. Para contruir, gasta-se 22mc para cada pedaço de parede, chão, teto, telhado ou pilar. Portas custam em média 70mc.

A cada 7 dias reais o jogador ainda deve pagar algo entre 3 e 15% do valor do edifício para poder permanecer com ele.

Todo este dinheiro não some simplesmente do jogo. Ele vai parar no tesouro da cidade e pode então ser revertido na contratação e salário dos NPCs guardas, senescais, espiões, porteiros.

Uma vez que o sinheiro da cidade acaba, os NPCs começam a se demitir sozinhos.

Os jogadores que tenham privilégio de acesso ao tesouro podem retirar o dinheiro através de qualquer NPC banqueiro da cidade.

Ao vender um item em um NPC, o jogador pode estipular qualquer preço. Mas para que ele seja comprado, o interessante é que ele fique perto do preço da tabela. Se o preço ficar alto, ninugém via comprar. Se ficar muito barato, ninguém vai comprar da mesma forma por pensar que é um item com uma qualidade muito baixa.

Para tanto, prefira vender itens identificados pois assim você pode conhecer o seu preço.

Os preços da tabela podem ser visualizados e modificados por qualquer jogador que tenha privilégio Alterar Taxas.

Decretos

Decretos são textos que podem ser criados por qualquer jogador que tenha o privilégio Promulgar leis. Os decretos não tem nenhuma função automática no sistema. São leis criadas pelos jogadores e seu valor é totalmente representativo.

Os decretos devem ser mantidos pelos jogadores. Sendo assim, cabe à administração da cidade criar mecanismos utilizando as permissões e os privilégios para que os decretos sejam seguidos por todos.


Exemplos de decretos e aplicações
Decreto número 2 de 26/05/668
"Regulamentação de preços"
Fica a cargo do Mestre Mercante desta cidade definir e regular os preços do mercado e confiscar qualquer item que tenha variação maior que 15% do preço de tabela.

Então, o carpinteiro Carpíncio põe à venda uma mesa de madeira a 64mc. Porém, o preço estipulado pelo Mestre Mercante é de 51mc (20% abaixo do preço da mesa). Então o mestre mercante pode ir até o vendendor de móveis e confiscar o item, desde que tenha o privilégio Confiscar itens.


Decreto número 41 de 01/06/512
"Uniforme da guarda de Maçaxusters"
Fica obrigatório a todo membro da guarda de Maçaxusters, nossa cidade, o uso de uma faixa azul oliva no peito quando estiver em serviço. Ainda, quando o guarda estiver fora dos limites da cidade, deverá obrigatoriamente vestir uma boina azul-limão.

Sabendo da obrigação, Clodolendil, o costureiro, planta seu algodão e faz 10 peças da faixa e mais 10 da boina e espera que alguém do governo abra uma Ordem de Compra para os itens.


Os decretos podem ser lidos por qualquer jogador num item chamado quadro de leis ou perguntando ao Senescal.

Petições

Petições podem ser vistas como o canal de comunicação do cidadão com o governo. Um abaixo-assinado ou plebiscito aonde os cidadãos podem dar suas sugestões de governo e votar a favor ou contra as petições de outros jogadores.

Quando uma cidade tem a permissão Pedir cidadania mas não tem a permissão Cidadania automática, uma petição automática é gerada para perguntar ao governo se o jogador pode ser considerado um cidadão da cidade. Os cidadãos amigos deste jogador podem manifestar seus votos a favor da cidadania do referido jogador e os governantes podem ou não aceitar o pedido de cidadania.

Uma outra aplicação é o povo pedir ao governo um certo item, lei, cargo ou evento como liberar a mina da cidade para quaisquer jogadores poderem extrair recursos (habilitando a permissão Coletar recursos naturais).

Uma terceira aplicação seria um plebiscito. Através do sistema de petições, por exemplo, o mestre da cidade pode perguntar ao povo se eles sãocontra ou a favor à lei de desarmamento geral da nação.

Qualquer jogador pode ler as petições num quadro de petições, mas apenas os que tem privilégio Criar/votar petição pode votar ou criar novas petições.

Se a permissão Abrir petições estiver habilitada, qualquer jogador pode participar.

Itens e ferramentas da cidade

Para que os jogadores possam ter acesso a todas as informações da cidade e possam interagir facilmente com o sistema, alguns itens são disponibilizados para a comunidade. Cada um deles tem uma serventia.

Os itens e ferramentas de uma cidade são:

  • Cofre: Cada cidade pode ter (ou não) um cofre, e apenas um. Trata-se de um container qualquer que pode ser configurado e mudado por jogadores que tenham privilégio Acesso ao Tesouro. Cada item que for confiscado no comércio é automaticamente guardado no cofre da cidade. Mantenha o cofre sempre fechado com uma boa fechadura e sob vigilância! Ele pode ser utilizado para guardar outros recursos também.
  • Artefato: Cada cidade pode (ou não) ter um artefato. O artefato é o bem mais precioso do governo. Aquele que detém o artefato, detém a titularidade da cidade e consequentemente o poder total sobre a cidade e todas as suas sub-regiões e regiões sob administração. Ao dar um duplo click no artefato, um jogador qualquer pode ser feito mestre da cidade instantaneamente. Dando um duplo click no artefato também pode abrir a janela de configuração da cidade. Quando um artefato é acidentalmente excluído do jogo, um clone é automaticamente criado dentro do Cofre da cidade. O mestre da cidade tem o poder de transferir o artefato da cidade para outro item. O artefato pode ser qualquer item do jogo. Seja um cetro ou um peçado de estrume de cavalo.
  • Quadro de leis: Fabricado por carpinteiros e regulamentado por qualquer jogador que tenha o privilégio Promulgar leis, o quadro de leis pode ser utilizado para visualizar os textos de decretos (textos representativos) e as permissões da cidade. Todos os quadros de leis de uma cidade tem o mesmo conteúdo. Os textos de decreto de um cidade também são válidos em seus sub-territórios.
  • Quadro de petições: Fabricado por carpinteiros e regulamentado por qualquer jogador que tenha o privilégio Promulgar leis, o quadro de petições é utilizado pelos jogadores para criar e participar de votações e petições.

Violação de regras, guardas e penas

A falta de alguns privilégios ou permissões não é sempre encarada como uma violação à lei. Por exemplo, se você não tem privilégio para comprar itens e tentar comprar um item de um NPC vendedor, ele simplesmente dirá que não pode lhe vender.

Todavia, a falta de outros privilégios pode colocar-lhe em apuros.

Um clássico exemplo é ser pego por um NPC qualquer da cidade (como vendedores) tentando arrombar um cofre no banco. Se isso acontecer, o jogador será marcado como criminoso e os NPCs guardas poderão lhe prender pelo sistema automático. Em caso de muitas reincidências você poderá ser banido da cidade e nunca mais poderá ser visto.

Retirar recursos naturais da cidade como matar animais, mineirar, cortar árvores ou colher frutos sem permissão ou privilégio também é considerado roubo e você poderá ser preso se for visto ou dedurado.

Flagrante e sendo delatado

Caso você seja pego com a mão na massa, então você se tornará um foragido e caso algum guarda o encontre ele irá lhe prender e te jogar na prisão, assim colocando seu nome na lista de marginais da cidade, então tome muito cuidado quando estiver fazendo algum trabalho ilegal.

Tempo de prisão

Banimento

Caloteiros

Perdão

Ferramentas pessoais